Disponível agora: relatório final do VII Fórum Internacional da Longevidade “Os caminhos para o aprendizado ao longo da vida”

Disponível agora: relatório final do VII Fórum Internacional da Longevidade “Os caminhos para o aprendizado ao longo da vida”

O tema central do VII Fórum Internacional da Longevidade é de importância central para nosso mundo que envelhece: “Os caminhos para o aprendizado ao longo da vida”. Nossas vidas cada vez mais longevas em paralelo às transformações tecnológicas incessantes exigem de todos – a nível individual e coletivo – um esforço contínuo. Aprender, aprender, aprender. Aprender a aprender, do início ao final da vida. Do contrário, qual seja a idade, não podemos participar integralmente na sociedade.

Não é mais admissível que a educação termine com uma formatura. A noção de que aprendemos tudo que é necessário aprender nas primeiras duas décadas da vida servia quando o conhecimento era limitado, nossas vidas eram curtas e o impacto de novas tecnologias pequeno. O Fórum nos deu a oportunidade de discutir e principalmente aprender sobre iniciativas e tendências atuais na área de educação que tanto influenciarão nosso futuro individualmente e na sociedade como um todo. Enfatizamos o papel primordial da educação para criarmos maior bem-estar e participação na sociedade, buscando sensibilizar todos os setores: academia, mídia, empresas, governos e o setor não-governamental”, afirmou o gerontólogo Alexandre Kalache, chair do evento, ex-diretor do Departamento de Envelhecimento e Curso de Vida da Organização Mundial da Saúde (OMS), presidente do Centro Internacional de Longevidade (ILC-BR), co-presidente da Aliança Global de ILCs e consultor do Grupo Bradesco Seguros para assuntos relacionados à longevidade.

Nesse contexto, o panorama populacional brasileiro mostra que as pessoas vivem cada vez mais em paralelo ao forte declínio da natalidade nas últimas duas décadas. Daí resulta o rápido envelhecimento populacional. Se hoje os 30 milhões de brasileiros com idade superior a 60 anos representam em torno de 14% da população nos próximos trinta anos teremos 67 milhões, cerca de 30% do total. Estamos diante da Revolução da Longevidade com o aumento contínuo do número de idosos e diminuição progressiva do número de jovens. Portanto, suas implicações impactam a sociedade como um todo.

O documento pode ser baixado nas versões em inglês e português.

O Fórum Internacional da Longevidade

O Centro Internacional de Longevidade do Brasil (ILC-BR), em colaboração com a Bradesco Seguros e a UniverSeg, e patrocínio da MSD, realizou nos dias 13 e 14 de novembro de 2019, no Rio de Janeiro, o VII Fórum Internacional da Longevidade. O evento reuniu especialistas e personalidades nacionais e internacionais, que apresentaram resultados de suas pesquisas, experiências e reflexões para uma plateia formada por gerontólogos, profissionais da área de saúde, estudiosos da longevidade e autoridades públicas de diversas áreas.

Os eventos anteriores foram focados em “Criar uma cultura do cuidado em resposta à revolução da longevidade” (2013); “Gênero e envelhecimento” (2014); “Abordagens amigas do idoso” (2015), “Design e tecnologia amigos do idoso” (2016); “Criar resiliência ao longo do curso de vida” (2017) e “Construir o futuro do envelhecimento” (2018), todos com relatórios produzidos, amplamente divulgados e disponíveis nas nossas Publicações.