Fórum de Demografia de Berlim

Hoje o Dr. Alexandre Kalache participou do painel sobre “Future Skills” no @BerlinDemographyForum #BDF2017, trazendo uma análise sobre os impactos de duas grandes revoluções atuais: a Revolução da Longevidade e a 4ª Revolução Industrial, principalmente no âmbito do trabalho. A 4ª Revolução Industrial, da qual tanto se fala ultimamente, “é a mudança inexorável da simples digitalização que caracterizava a terceira revolução industrial para uma forma muito mais complexa de inovação baseada na combinação de múltiplas tecnologias de novas maneiras” (Klaus Schwab, Presidente do Fórum Econômico Mundial).

Kalache citou que a segurança social, introduzida por Bismarck no século 19, quando a expectativa de vida na Alemanha era abaixo de 50 anos, não é mais sustentável. Hoje, cerca de 25 países têm uma expectativa de vida de 80 anos e mais, número que crescerá para 80 países até 2050. Ao mesmo tempo, a taxa de fecundidade está abaixo do nível de reposição em dezenas de países.

Porém, para aumentar os anos de emprego, temos que abraçar uma abordagem de curso de vida. Apenas desta maneira as pessoas vão aproveitar uma maior expectativa de vida em saúde e vão acumular conhecimento, ou seja, é necessário investir em aprendizagem ao longo da vida.

Ele apresentou alguns dados do Conselho sobre Human Enhancement do Fórum Econômico Mundial, do qual faz parte, demonstrando o enorme impacto da 4ª Revolução Industrial. Enquanto o maior recurso do século 20 era a informação, o do século 21 é a imaginação.

Como resposta aos desafios oriundos destas revoluções, Kalache se referiu ao conceito da resiliência e de como design e tecnologia podem apoiar indivíduos a continuar produtivos e, principalmente, aproveitar uma maior qualidade de vida.

Para saber mais sobre este tema, leia o documento desenvolvido a partir do nosso último Fórum Internacional da Longevidade através deste link.

Programm